Logo Tabela Carros
Logo Tabela Carros
Logo Tabela Carros

Artigos recentes

A importância do test drive antes de escolher um veículo

Por: Guilherme de Almeida Bufoni
02/03/2022

O test drive é a hora de verificar se aquele veículo realmente atende às expectativas ou se deixa algo a desejar. Será que ele realmente apresenta as vantagens informadas? É confortável? Sua suspensão, embreagem e freio funcionam bem? Realmente atende a necessidade?

Essas são algumas perguntas que todo consumidor possui na hora de comprar seu veículo. E todas elas ou uma grande parte delas pode ter resposta ao fazer um test drive.

Este é um direito que o consumidor possui e que, por esse motivo, as concessionárias disponibilizam um veículo de cada modelo para que seus clientes possam dirigi-lo.

Vamos conferir a importância de fazer esse teste na hora de escolher um veículo?

 

O Test drive é realmente importante?

Se arrepender de uma compra porque o produto não atende as expectativas não é uma sensação boa. Imagine se arrepender de comprar um carro porque ele não supre os desejos e necessidades do comprador.

O test drive possibilita ter um pouco de conhecimento sobre o veículo antes de efetuar a compra. Isso evita o arrependimento no pós-compra.

Mas quais pontos são mais importantes na hora do teste e que o consumidor deve ter atenção? Os principais são os seguintes:

 

Conforto

O assento do motorista é confortável? Quais opções de ajuste que estão instaladas? O posicionamento dos espelhos está adequado? O volante, na hora da condução, é leve? A suspensão é boa? Quanto é possível sentir das falhas presentes no asfalto?

Essas são algumas questões que podem ser respondidas durante a realização do teste e que dizem respeito ao conforto que o veículo proporciona.

 

Aceleração

O momento do teste deve ser utilizado para conhecer melhor o veículo, saber se ele funciona bem. Por isso, deve ser aproveitado para acelerar o carro e observar se algum barulho se apresenta ou se ele possui dificuldade para se locomover na aceleração.

Também deve-se observar se há algum som interno e externo que seja proveniente do carro. Outro ponto a observar é a velocidade que a troca da marcha deve ser realizada.

 

Freios

Ao frear, busque perceber se o veículo realiza alguma movimentação brusca e se ele demora muito a responder a esse comando. O preferível é que a frenagem sempre seja gradual e macia para que o próprio veículo e os passageiros não sejam prejudicados.

O ideal é, durante todo o percurso, realizar diversos tipos de frenagem: bruscas e rápidas, leves e macias. Isso ajuda a identificar se o veículo possui algum tipo de problema.

 

Direção

Existem as direções hidráulicas que são mais leves e macias de manobrar e há também as direções mecânicas que são mais duras.

Mesmo com essas diferenças é importante que eles possuam certa similaridade quando o veículo encontra-se em movimento. A direção não pode ser muito macia nem muito dura nas manobras.

Durante o test drive também é importante observar o tempo de resposta do veículo. Caso ele demore algum tempo a responder ao girar a direção pode ser que ela necessite de reparos.

Essas são apenas algumas questões que precisam ser observadas na hora de testar o automóvel.

 

Conclusão

Você já sabia da importância de fazer o test drive antes de fechar a compra do veículo? Já se arrependeu de ter comprado algo por que não teve atenção a certos detalhes nem fez um teste? Conte-nos um pouco dessa situação e, se gostou do conteúdo, compartilhe-o nas redes sociais!

Quais acessórios podem valorizar o seu carro?

Por: Guilherme de Almeida Bufoni
08/02/2022

My alt text

Já pensou em quais acessórios que valorizam carros antes de compra ou venda?

Quando vamos a uma loja a fim de olhar os modelos e conhecer alguns detalhes seja do veículo seja das questões financeiras, poucas vezes paramos para analisar os acessórios. 

Na revenda, eles são fundamentais, pois podem dar aquela valorizada nesse momento. Por isso, vamos conhecer alguns dos principais acessórios que aumentam o valor de revenda do seu veículo?


Lista dos principais acessórios que valorizar carros


São tantos acessórios que podem ser adicionados ao veículo que é normal ficar na dúvida de optar por algum deles? Mas se estiver pensando na revenda, os que listamos a seguir irão valorizar ainda mais seu veículo!

 


Ar condicionado

Sem sombra de dúvidas um veículo que possui ar condicionado é mais valorizado que um que não tem. Na hora da revenda esse item faz muita diferença na hora da negociação.

 

Banco de couro

Entre os acessórios valorizar carros esse certamente é um dos mais cobiçados, pois dá aquele toque de luxo que muitos proprietários de veículos desejam. Mas isso não é tudo, afinal, limpar um banco de couro é muito mais simples e prático. 

Somente é preciso utilizar um pano com água para o banco ficar limpinho. Ou seja, os pontos fortes desse item são praticidade, higiene e luxo.

 


Kit estacionamento

Esse composto é composto pelo sensor de estacionamento e pela câmera de ré. Muitos condutores sonham em ter um veículo com esse kit, pois ele facilita, e muito, as manobras realizadas para estacionar o veículo. Sem falar que ele evita pequenas batidas que são tão comuns na manobra para estacionar.

 

GPS

Item que está presente até mesmo nos celulares, ele também pode ser adicionado ao carro. Veículos que possuem esse acessório são mais valorizados no mercado na hora da revenda.

 

Alarme

Já imaginou comprar um carro que não tem alarme? Esse é um acessório de segurança que muitos compradores não abrem mão. Afinal, ninguém gostaria de ter seu veículo roubado. O alarme não vai evitar que os roubos aconteçam, mas ao menos se torna um empecilho a mais para os ladrões de plantão.

 

Itens de segurança

ABS e Airbag são itens voltados para a segurança que certamente não podem faltar. A quantidade de carros que estão sendo fabricados com eles é cada vez maior. No Brasil, desde 2014 que todo veículo produzido aqui é obrigado a possuir esses itens de segurança. 

A partir daí é possível perceber que os que não possuem tais itens são desvalorizados. Sem falar que os carros ficam menos seguros sem esses itens. Afinal, o ABS não permite que os freios do carro travem e ainda faz com que a distância da frenagem seja menor. Isso evita acidentes graves.

Já o airbag reduz as chances de ter um ferimento em um acidente. Ele tem a capacidade de salvar vidas e certamente é um item indispensável para a segurança dos ocupantes do veículo.

 

Rodas de liga leve

Sabe qual o segundo acessório mais cobiçado? A roda de liga leve. Esse acessório perde somente para o rádio. Veículos que possuem esse tipo de roda são mais eficientes e até mais leves na direção. 
Por isso, entre os acessórios que valorizam carros esse é um daqueles que faz o coração do comprador bater mais forte.

 

Seu carro possui algum desses itens que o valorizam? Saiba que você pode tentar vendar o seu veículo mais próximo ou até acima da Tabela FIPE. Aproveite e faça uma consulta no nosso site.

Dicas para não cair em furada ao comprar ou vender carro usado

Por: Guilherme de Almeida Bufoni
25/10/2021

Quem não gostaria de ter algumas dicas para comprar um carro usado não é mesmo? Inúmeros brasileiros sonham em ter seu veículo, mas é preciso ter alguns cuidados tanto na hora de comprar um usado quanto na hora de vender. Afinal, não é difícil encontrar pessoas que já caíram em golpes.

Para evitar que você passe por esse tipo de situação resolvemos selecionar algumas dicas para comprar carro usado que são imperdíveis. Vamos conferir?

Dicas para comprar um carro usado

Tanto na hora da venda quanto da compra de um veículo usado é preciso ter atenção a certos detalhes. São eles que ajudarão a não cair em golpes que vez ou outra acontecem nesse meio. Algumas dicas que podem te ajudar a evitar problemas são:

 

1- O carro realmente existe?

Um dos golpes mais comuns é a venda de algum veículo que foi inventado, clonado ou que simplesmente a pessoa tirou uma foto dele no meio da rua e colocou no anúncio de venda. Para evitar cair nesse golpe, primeiramente, sempre desconfie de preços muito abaixo do mercado.

Isso porque pode ser uma estratégia da pessoa mal intencionada para conseguir aplicar o golpe mais rapidamente. Outra forma de evitar cair em golpe é procurar ver o veículo presencialmente, e não através de foto ou vídeo, e sua documentação antes de fechar a compra.

Veja, no documento do veículo, se o nome do proprietário é o mesmo do vendedor. Também verifique se consta algum tipo de gravame sobre ele.

 

2- Verifique se o carro possui alguma restrição jurídica

Nesse caso, basta fazer uma consulta a fim de verificar se o carro possui alguma restrição jurídica e ver se o Renajud possui algum bloqueio.

Você encontrará uma lista digital com todos os veículos que possuem restrição jurídica e que, por esse motivo, não podem ser comercializados.


3- Análise da quilometragem

Esse cuidado deve ser tomado independente de comprar um carro seminovo ou usado. Através da quilometragem é possível perceber se o veículo está desgastado ou conservado. Mas como fazer essa análise se uma das fraudes é justamente a alteração da quilometragem? Uma forma de verificar essa questão é observar a quilometragem que está anotada nas revisões do veículo. Você pode fazer essa verificação no Manual do Proprietário e até mesmo na etiqueta da troca de óleo que se encontra no para-brisa do veículo. 

Caso essa marcação seja menor ou maior que a que se encontra no painel é sinal que houve adulteração. Também verifique o jogo de pneus. A duração deles fica em torno dos 50 mil a 60 mil km. Caso eles estejam mais desgastados e a quilometragem seja menor pode ser que tenha ocorrido uma adulteração.

 

4- Ofertas muito tentadoras

O preço está muito abaixo do que consta na tabela FIPE? As condições são muito apelativas como, por exemplo, "não posso esperar para vender amanhã, estou precisando do dinheiro hoje" ou "o negócio tem que ser fechado hoje ou não posso vender o carro"? O vendedor insiste desesperadamente para que a compra seja realizada?

Essas são situações típicas de quem está tentando aplicar um golpe. Afinal, o golpista não quer que você consiga raciocinar a ponto de perceber que está caindo em um golpe.

Com essas dicas para comprar carro usado certamente você não será uma presa tão fácil para os golpistas.

 

Conclusão

Você já caiu em algum golpe? Se tivesse tido acesso a essas dicas teria tomado mais cuidado? Deixe sua opinião a respeito da sua experiência e do que achou do nosso conteúdo! Caso tenha gostado aproveite para compartilhar nossa página em suas redes sociais!

 

 

Existe "Tabela Fipe" de bicicletas? Empresa cria guia de preços para bikes

Por: Guilherme de Almeida Bufoni
04/10/2021

As bicicletas podem ser uma ótima opção de mobilidade, dependendo da cidade que você mora, é possível fazer pequenos trajetos no dia a dia: ir na padaria, mercadinho, ou até mesmo ir e voltar do trabalho. Além de economizar combustível, que está caríssimo, pedalar todos os dias pode trazer muitos benefícios para a saúde.

Outro perfil de pessoas que utilizam bikes são os esportistas, que investem um bom valor para ter um equipamento de qualidade.

Em 2020, durante a pandemia, o Brasil registrou um aumento significativo de vendas das “magrelas”. Segundo a empresa Aliança Bike as vendas aumentaram cerca de 50%.

Hoje existem muitos modelos e marcas de bikes, desde modelos mais simples até as mais sofisticadas, que podem custar milhares de reais, muitas vezes uma bike pode valor muito mais do que uma moto!

 

Mas como saber quanto vale uma bike? Existe uma "Tabela FIPE" para bikes?

Como avaliar o preço de uma bike nova ou usada?

A famosa Tabela Fipe é a referência número 1 quando falamos sobre preço de carros, motos e caminhões, nela podemos encontrar até mesmo o preço médio de triciclos, mobiletes e quadriciclos. Além da FIPE, ou tabelas respeitadas como KBB e Molicar comtemplam o preço de veículos motorizados novos e usados.

Mas nenhuma das tabelas citadas têm o preço médio de bicicletas. Pensando na carência de informações desse público, uma start-up criou a sua "Tabela Fipe de Bikes".

A Semexe baseia-se na coleta de preços de milhares de modelos de bikes, novas e usadas, nacionais e importadas. Com uma simples pesquisa é possível saber o preço de venda e compra levando o estado de conservação da bike.

O serviço é gratuito e pede somente o nome e e-mail no momento da consulta.

 

O critério para definir os preços são baseados em 3 fatos:

Expertise da indústria: Os especialistas da empresa contribuem com sua experencia para ajudar a precificar as bikes

Valor médio de transações: São feitas milhares de consultas online sobre compra e venda na indústria de bikes.

Feedbacks dos próprios visitantes e ciclistas: o guia pede a opinião sobre os valores sugeridos no site.

Estão no guia de preços 11 marcas de vários modelos/anos de bicicletas, inclusive as oito mais famosas: Caloi, Oggi, Connondale, Specialized, Cervelo, Trek, Scott e Sense. O guia é uma ótima referência de mercado para os amantes de bikes.

As variações de preço do mercado são medidas constantemente e atualização da tabela é diária.

 

Agora você já sabe como consultar o preço da sua bike. Se precisar de ajuda para consultar o preço de carros, motos e caminhões, consulte o Tabela Carros, é a melhor forma de visualizar o histórico de preços do seu veículo, com gráfico de evolução de preços e valor de IPVA.

 

 

Como calcular o IPVA 2022? Descubra o valor exato do seu pagamento

Por: Guilherme de Almeida Bufoni
28/09/2021

O Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores, mais conhecido como IPVA, é um dos impostos mais temidos pelos brasileiros. Quando o final do ano vai chegando, já nos preocupamos com o valor que teremos que pagar no início do próximo ano.

Mas é possível calcular este valor com antecedência? Planejar e organizar seus gastos é muito necessário! Vamos te ajudar a desvendar como realmente funciona o cálculo do IPVA e como “prever” este gasto.

 

Como funciona o cálculo do IPVA?

A conta é muito simples, basta multiplicar o valor venal do seu veículo pela alíquota cobrada no seu estado e dividir o resultado por 100.

Então o mais importante para descobrir o valor do IPVA do seu veículo é saber o valor venal e a alíquota aplicada no estado em que o carro foi emplacado.

Exemplo de cálculo de IPVA para um Gol 1.0 2013 emplacado em São Paulo:

Valor Venal do Veículo: R$ 19.087,00
Alíquota cobrada: 4%
Cálculo: (19.087,00 x 4) / 100
Valor do IPVA: R$ 763,48,00

 

O valor venal do veículo é o mesmo da tabela FIPE? Como descobrir?

Não. O valor é muito próximo, mas não necessariamente igual. Cada estado têm a sua própria tabela de valor venal com os preços médios de mercado, a maioria é baseada na Tabela FIPE, mas pode haver pequenas diferenças.

Outro ponto importante: quando vamos consultar o preço de um veículo na tabela FIPE, sempre levamos em conta o ano/modelo, no caso do valor venal é considerado o ano de fabricação do veículo.

Para descobrir o valor venal exato do seu veículo é preciso consultar a secretaria da fazenda do seu estado, mas não se preocupe com isso, podemos inferir o valor da Tabela Fipe e chegar em um número muito próximo da realidade.

 

Qual o mês de referência do valor venal do veículo?

Já sabemos que o valor venal é o preço médio de mercado muito próximo ao valor da tabela FIPE, mas qual mês os estados utilizando como referência para fazer o cálculo?

O mês de referência utilizado para o cálculo também pode variar, no estado de São Paulo e Rio de Janeiro, por exemplo, é o preço vigente no mês de setembro do ano imediatamente anterior ao ano de cobrança do IPVA. Em outros estados não conseguimos localizar esta informação nos sites das secretarias da fazenda e detran, mas pelo que apuramos também seguem a mesma lógica.

Exemplo: para calcular o IPVA do ano 2022, os preços médios foram coletados em setembro de 2021.

 

Qual é a alíquota de IPVA cobrada para o meu estado? 

O IPVA é um imposto estadual, por isso cada estado pode definir as suas próprias regras e alíquotas.

Veja a alíquota do IPVA do seu estado:

Estado Tipo de veículo Alíquota
Acre Carros 2%
Motos 2%
Caminhões 1%
Alagoas Carros *2,75% até 3,25%
*No estado do Alagoas, carros acima de 150 mil tem alicota de 3,25%.
Motos *0% até 3,25%
*Sobre alíquota de motos no estado de Alagoas: Até 50 cilindradas = 0%, não superior a 150 (cento e cinquenta) cilindradas cúbicas = 2%, Potência acima de 150 até 400 cilindradas cúbicas =2,75%, Potência acima de 400 cilindradas cúbicas =3,25%
Caminhões 1%
Amapá Carros 3%
Motos 1,5%
Caminhões 1,5%
Amazonas Carros 3%
Motos 2%
Caminhões 2%
Bahia Carros 2,5%
Motos 1%
Caminhões 1%
Ceará Carros 3%
Motos 2%
Caminhões 1%
Distrito Federal Carros 3,5%
Motos 2,5%
Caminhões 1%
Espírito Santo Carros 2%
Motos 1%
Caminhões 1%
Goiás Carros 3,75%
Motos 3%
Caminhões 1,25%
Maranhão Carros 2,75%
Motos *1% até 2%
*No Maranhão, alíquota de 1% para motocicletas até 10 mil reais e 2% acima de 10 mil reais.
Caminhões 1%
Mato Grosso Carros 3%
Motos 1% até 3,5%
Em Mato Grosso, alíquota de 1% para motocicletas até 180 cilindradas, 2,5% até 300 cilindradas, 3% até 600 cilindradas e 3,5% mais de 600 cilindradas.
Caminhões 1%
Mato Grosso do Sul Carros 3,5%
Motos 2%
Caminhões 2%
Minas Gerais Carros 4%
Motos 2%
Caminhões 1%
Pará Carros 2,5%
Motos 1%
Caminhões 1%
Paraíba Carros 2,5%
Motos 2,5%
Caminhões 1%
Paraná Carros 3,5%
Motos 3,5%
Caminhões 1%
Pernambuco Carros 3%
Motos *1% até 3,5%
*Sobre alíquota de motos no estado de Pernambuco: Motos de até 50 cc = 1%, Motos de até 300 cc = 2,5%, Motos de até 600 cc = 3%, Motos superiores a 600 cc = 3,5%.
Caminhões 1%
Piauí Carros 2,5% até 3%
No estado do Piauí, carros acima de 150 mil tem alíquota de 3%.
Motos 2%
Caminhões 1%
Rio de Janeiro Carros 4%
Motos 2%
Caminhões 1%
Rio Grande do Norte Carros 3%
Motos *2% até 3%
*No estado do Rio Grande do Norte, alíquota de 2% para motos até 200 cilindradas e 3% para mais que 200 cilindradas.
Caminhões 1%
Rio Grande do Sul Carros 3%
Motos 2%
Caminhões 1%
Rondônia Carros 2,5%
Motos 2%
Caminhões 1%
Roraima Carros 3%
Motos 2%
Caminhões 1%
Santa Catarina Carros 2%
Motos 1%
Caminhões 1%
São Paulo Carros 4%
Motos 2%
Caminhões 1,5%
Sergipe Carros 3,5%
Motos 2%
Caminhões 1%
Tocantins Carros 2,5% até 3,5%
No estado de Tocantins, alíquota de 2.5% para carros até 100hp e 3.5% mais de 100hp.
Motos 2,5%
Caminhões 1,25%

 

Posso parcelar o valor? Tenho desconto se pagar à vista?

Por se tratar de um imposto com valor elevado, todos os estados aceitam parcelamento do IPVA. A maioria também concede um desconto para quem paga à vista e de forma antecipada.

Vale a pena pagar o IPVA à vista?

Se você tiver o dinheiro reservado para pagar à vista, vale a pena. Mesmo as melhores aplicações não rendem nem perto dos descontos concedidos. As únicas exceções são os estados de Goiás e Santa Catarina, que não oferecem nenhum desconto para quem faz o pagamento à vista. 

Estado Máximo de Parcelas Desconto à vista
Acre 3 10%
Alagoas 3 10%
Amapá 6 20%
Amazonas 3 10%
Bahia 3 10%
Ceará 5 5%
Distrito Federal 3 5%
Espírito Santo 4 5%
Goiás 3 0%
Maranhão 3 10%
Mato Grosso 6 5%
Mato Grosso do Sul 5 15%
Minas Gerais 3 3%
Pará 3 10%
Paraíba 3 10%
Paraná 3 3%
Pernambuco 3 10%
Piauí 3 3%
Rio de Janeiro 3 3%
Rio Grande do Norte 5 5%
Rio Grande do Sul 3 3%
Rondônia 3 10%
Roraima 3 10%
Santa Catarina 3 0%
São Paulo 3 3%
Sergipe 10 10%
Tocantins 10 10%

 

Quem está isento de IPVA?

Em geral, veículos usados mais antigos e condutores/proprietários de veículos com deficiência física (PCD). Para mais informações sobre a tabela FIPE para carros PCD, clique aqui.

Dependendo do ano de fabricação do seu veículo e estado em que foi emplacado, você está isento de pagar IPVA.

Tabela de isenção de IPVA por ano de fabricação e estado:

Estado Idade do veículo
Goiás 10 anos
Rio Grande do Norte 10 anos
Roraima 10 anos
Amapá 15 anos
Amazonas 15 anos
Bahia 15 anos
Ceará 15 anos
Espírito Santo 15 anos
Maranhão 15 anos
Pará 15 anos
Paraíba 15 anos
Piauí 15 anos
Rio de Janeiro 15 anos
Rondônia 15 anos
Sergipe 15 anos
Tocantins 15 anos
Distrito Federal 15 anos
Mato Grosso 18 anos
Acre 20 anos
Alagoas 20 anos
Mato Grosso do Sul 20 anos
Paraná 20 anos
Rio Grande do Sul 20 anos
São Paulo 20 anos

*Os estados de Minas Gerais, Pernambuco e Santa Cateriana não tem idade fixa do veículo para isenção, seguem uma tabela gradativa.

 

O que acontece se eu não pagar o IPVA?

Não pagar o IPVA pode implicar em uma série de problemas. Primero, você não poderá fazer o licenciamento do seu veículo.

Um veículo não licenciado pode ser apreendido em uma abordagem policial. Se isso acontecer, além dos gastos com juros, encargos e multas, você também terá de arcar com os custos dos dias em que seu veículo ficou parado no pátio do Detran.

E não para por aí, o seu nome pode ficar sujo! Seu débito irá para a dívida ativa, seu nome também poderá ser incluído em órgãos de proteção de crédito, como SERASA, SPC, além dos cartórios de protesto.

 

É possível pagar o IPVA atrasado?

Sim, apesar de não recomendado, muitas pessoas deixam para pagar o IPVA pouco antes de fazer o licenciamento.

No site do Detran do seu estado é possível gerar uma guia para regularizar os débitos (GRD). Você pagará o valor atualizado com juros e encargos por conto do atraso.

 

Conclusão

É possível calcular o valor do IPVA muito antes do governo do seu estado divulgar o valor. Com tantos compromissos financeiros que temos no início do ano, é importante se programar e planejar para que este gasto não pese tanto no seu orçamento.  Aqui no Tabela Carros nós fazemos a estimativa do IPVA para todos os veículos consultados, não deixe de consultar o seu veículo.

 

 

© 2021 | Todos os direitos reservados